Comprar casa em Portugal: residir, passar férias ou rendimento

De acordo com o BBC Travel, Lisboa posiciona-se no TOP 5 mundial das cidades onde se pode viver melhor com menos custos e, por sua vez, a Weatherwise Magazine diz que Lisboa é a 6ª cidade no mundo com melhor clima. Só estes dois argumentos bastariam para nos mudarmos de «armas e bagagens» para a capital Portuguesa, mas existem muitos outros fatores que fazem da nossa cidade e do nosso país um dos mais atrativos para se viver. Vou referir apenas 3 – saúde, educação e infraestruturas –  por serem aqueles que o World Economic Forum destaca como principais pilares e com base nos quais Portugal foi considerado o 36º país mais competitivo do mundo.

Tudo isto são qualidades únicas para quem quer investir em imobiliário em Portugal, às quais se somam preços muito competitivos, quando comparados com os valores praticados noutras cidades europeias. Seja para habitação própria, residência de férias ou rendimento, Portugal está a ser cada vez mais procurado por investidores internacionais para comprar casa.

Este interesse crescente por imobiliário residencial, encontra resposta numa oferta cada vez mais sofisticada e que está a mudar os centros das cidades, nomeadamente Lisboa.  Assistimos hoje a uma autêntica revolução nas zonas mais centrais da capital portuguesa, incluindo o centro histórico e algumas zonas nobres da cidade. Onde outrora existiam edifícios em estado degradado, vemos hoje edifícios reabilitados ou em fase de reabilitação, dando lugar a habitações de excelente qualidade e, muitas vezes, de elevado valor histórico e arquitetónico. Para percebermos melhor este dinamismo, a reabilitação representou em 2014 cerca de 34% dos edifícios concluídos em Portugal.

Também o turismo tem tido um forte impacto no mercado residencial. Lisboa e Porto estão na ribalta do turismo mundial, uma excelente notícia para quem compra com o intuito de rentabilizar os seus ativos imobiliários, nomedamente para colocar no mercado de arrendamento de curta duração (apartamentos turísticos)  e/ou para serviced apartments, dois tipos de estadia cada vez mais populares um pouco por todo o mundo.

Se às qualidades intrínsecas do nosso país juntarmos a qualidade e a competividade do nosso imobiliário residencial, e ainda os programas de incentivo ao investimento estrangeiro, diremos que estamos perante um novo momentum no imobiliário residencial que não podemos deixar fugir.

Sobre o autor

Patrícia Barão Head of Residential | Residential

Ingressei na JLL em 2015 como Diretora do Departamento Residencial. Anteriormente, trabalhei como Diretora Comercial e de Marketing na Espírito Santo Property, entre 2010 e 2014, e na Herdade da Comporta, entre 2007 e 2010. Passei também por outras empresas como a Hewlett Packard Portugal, onde assumi funções de Especialista de Vendas, pela OniTelecom como Team-Leader na Direcção Corporate, pela Maxitel SA como Coordenadora Comercial e pelo Banco Comercial Português. Sou licenciada em Gestão de Empresas de Turismo pelo ESHTE e tenho uma pós-graduação em Marketing Empresarial pelo CIDEC. Tenho ainda formação complementar em Modelos de Gestão e Exploração de Turismo Residencial e Resorts, em Técnicas Avançadas de Vendas e Negociação e o Curso de Success Selling.

Partilhe este post

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*